João XXIII e Marcelino Champagnat

Quando Roncalli era Patriarca de Veneza

 

No dia 29 de maio de 1955, o P. Champagnat ia ser proclamado Beato por Pio XII. Todas as comunidades maristas se preparavam para tal evento, mas desejavam que toda a comunidade escolar participasse de sua alegria.

Em Piove del Sacco (Itália), Quando Roncalli era Patriarca de Venezaos Irmãos Maristas dirigiam uma escola paroquial. Aproximava-se o momento de envolver toda a comunidade eclesial, e para isso se pensava em convidar o Patriarca de Veneza – o Cardeal José Roncalli – para que presidisse as celebrações.

Por esse motivo, o Diretor da Escola – Ir. Bárnaba Amici – foi a Veneza. Durante a entrevista, enquanto falava do novo Beato e de sua Congregação, ficou impressionado pela afabilidade e bondade do Prelado, mas muito mais por seu sorriso, que o Irmão interpretava como que de ternura para com ele, muito jovem. A dúvida se esclareceu quando o Irmão entregou ao Cardeal a Vida de Champagnat. O Cardeal lhe disse: “Obrigado, não preciso”. Com ar de benevolência, toma-o pelo braço, condu-lo ao aposento e convida-o a levantar o travesseiro. Com surpresa, o Irmão vê um livro que lhe é muito familiar: “Vida do Venerável Marcelino Champagnat”. O Cardeal acrescenta: “Cada noite, antes de dormir, leio algumas páginas”. Aceita, com grande prazer, presidir as celebrações, inclusive como reconhecimento para com os Irmãos que havia conhecido muito bem na Grécia.

 

In http://www.champagnat.org